Batman – A piada mortal. ◂ Miss Chatice
28 - 07 - 2016

Batman – A piada mortal.

Oie pessoal, tudo bem?

A resenha de hoje fica por conta de uma amiga muito parça da minha vida, a Natasha, que no dia 25 de julho foi assistir “Batman – A piada mortal” no cinema.
Muito obrigada pelo colab Nat 💖

Vamos ao review:

piada-mortal_y8cqE4G

ATENÇÃO: esta resenha contém spoilers (revelações sobre o enredo) do filme e da HQ homônima Batman – A Piada Mortal.

Longe de ser uma crítica de cinema, mas sim uma ávida consumidora de quadrinhos, a notícia do adaptação em animação de uma das minhas obras favoritas do morcegão me deixou extremamente animada. Junto com a notícia, seguiu-se toda uma hype que a obra de Alan Moore merece: o filme seria exibido por duas noites nos EUA, e não demorou para que confirmassem uma noite para alguns cinemas no Brasil. Os ingressos esgotaram em poucas horas, mesmo com toda a antecedência das vendas. Eu mesma só consegui para a sessão extra aberta para o mesmo dia, 25 de Julho. Infelizmente já sabíamos que a introdução especial do Mark Hamill, que dubla o Coringa, e um behind the scenes não viria para o Brasil para os cinemas, somente para o Blu-Ray e DVD.

Sinopse: O Coringa escapou mais uma vez do Asilo Arkham. Em meio a flashbacks da origem do arqui-inimigo do homem morcego, ele executa um plano insano cujo objetivo é provar um ponto: todos estamos a um dia ruim da loucura. E ele usará uma tragédia familiar contra o comissário Gordon para leva-lo à insanidade.

Apesar dos spoilers que surgiram alguns dias antes da estreia, o visual era empolgante. Muita similaridade com o traço da HQ e a postura do Batman da série animada.

O filme não trouxe somente o conteúdo da HQ homônima, mas também um prelúdio de Barbar Gordon em seus dias como Batgirl e o motivo que a levou a abandonar o manto de heroína de Gotham. Prelúdio pelo qual eu agradeceria, não fosse o relacionamento sexual forçado ao espectador – e solto em relação ao restante da história – entre Babara e Bruce. Aparentemente a tragédia que envolveria a personagem mais tarde, não teria o mesmo peso para o Batman se ele não tivesse dado uma voltinha na Batgirl. Desnecessário, como em qualquer ocasião que outros autores tentaram forçar um relacionamento que poderia – e deveria – ser puramente fraternal como foi com Batman e todos os Robins, em algo sexual. Diminui a importância da personagem e a objetifica desnecessariamente. A Babs é linda sim, mas também é badass e apenas não precisa disso. Não shipem, crianças. Eu duvido que o comissário Gordon aprovaria.

Após o prelúdio, o roterio segue quase que cada vírgula da HQ. A fuga do Coringa do Arkham. Sua história de origem como comediante fracassado que perde a família e aceita participar de um assalto assumindo a identidade do Capuz Vermelho, o que leva a um acidente na fábrica química em que ele trabalhou no passado, indiretamente causado pelo Batman que o tornou o palhaço do crime. Segue-se o tiroteio e paralisia da Barbara, o sequestro do Gordon e a porradaria com o Batman. Tudo muito que bem, realmente louvável, não fosse a cagadinha no prelúdio.

Eeee teve cena extra. Tipo um epílogo com uma olhadinha na Babs como Oráculo, ISSO SIM FOI FANSERVICE.

No geral uma adaptação boa, muito boa. Mas ainda estamos de olho nessa desnecessidade de fazer a heroína de alívio sexual. Leave Babs alone.

natasha



Deixe o seu comentário!

3 Comentários

  1. Valeu Nat, eu adorei a resenha!
    Queria muito ter ido assistir mas só tinha um cinema perto da minha casa que ia passar o filme, e a sessão esgotou super rápido!
    Estou doida pra sair logo nos sites de download pra eu finalmente assistir, hehe. O desenho do Batman era dos melhores da minha infância, hehe!

    Beijo 😉
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

  2. Marcela disse:

    LEAVE BABS ALONE, sim, pfvr e obrigada.
    Estamos de olho nessa putaria do Azzarello ò.ó

  3. Essa HQ é muito boa cara! EU tinha visto uns amigos meus falando que se decepcionaram mas não falaram o motivo, mas pela sua resenha foi super dahora o_o eu quero mt ver, agora preciso ver tipo pra ontem. Achar um tempinho

    Bjs, Carol | Espilotríssimo
    http://www.carolespilotro.com/